Buscar
  • Besouro da Silva

Um passatempo durante a pandemia virou negócio e fonte de renda para Camylla


Para passar o tempo durante a quarentena, na época da pandemia da covid-19, em 2020, Camylla, de apenas 21 anos, da cidade de Arcoverde, PE, resolveu aprender a fazer crochê. Assim, ela passou a fazer diversas peças, encantando os seus amigos e conhecidos, que acabaram a incentivando a produzir mais para vender. "Foi assim que eu comecei, aos poucos, no boca-a-boca mesmo, e, depois, comecei a divulgar no Instagram", conta a empreendedora.


Atualmente, ela trabalha com pequenas peças de crochê, bolsas, chapéus, carteiras, dentre outros produtos que ela mesma confecciona em casa. A venda é feita diretamente e, também, através das mídias sociais. "Faço de tudo um pouco e vendo para o público jovem e adulto que tem interesse nesse tipo de arte", relata a jovem.


Motivada com o bom resultado inicial, ela acha ótimo sempre ter um dinheiro extra que vem das suas vendas e o curso de empreendedorismo que Camylla fez através do programa Gerdau Transforma a ajudou a superar as dificuldades que ela tinha em organizar os seus custos. Ela aprendeu como investir e ter um retorno melhor, além de, também, saber como divulgar o negócio de forma eficaz. "Esse curso é incrível, ele proporciona a liberdade para mulheres empreendedoras, além do excelente apoio de profissionais incríveis durante toda a trajetória", diz, contente com os resultados e atenção recebida.


A nova empresária deseja fazer com que o seu negócio cresça ainda mais, se tornando uma referência na sua cidade. "Quero ter um bom lucro para montar um ateliê completo", comenta. Com um objetivo bem definido e perseverança, Camylla alcançará o que deseja.




Empreendedora: Camylla Monteiro Meneses

Nome do negócio: Crochê da Camys

Idade: 21 anos

Localidade: Arcoverde, PE

Tempo de atuação: 4 meses

Redes sociais: @ crochedacamys_

Expectativas: Crescer para poder contratar mais pessoas, gerando oportunidades

1 visualização0 comentário
Wpp2.png