Buscar
  • Besouro da Silva

Saiba mais sobre Pink Money, o poder de consumo LGBTQIA+, e a sua relevância para os negócios

Inclusão tem sido um tema que requer atenção em todas as áreas do convívio humano e não poderia ser diferente no mundo dos negócios. Empresas que desejem estar atualizadas nas questões de diversidade devem buscar compreender, ativamente, os anseios, percepções e comportamentos de um público que cresce cada vez mais.

O Brasil é o país que apresenta o maior índice de homicídios de LGBTQIA+: uma pessoa a cada 25 horas. Esses dados alarmantes refletem o cenário de LGBTfobia que persiste nas relações interpessoais e no ambiente de trabalho, o que demanda uma resposta urgente por parte da sociedade, não apenas no discurso pró diversidade, mas em ações efetivas que vão, realmente, impactar na realidade das pessoas.

No mercado de trabalho, uma em cada cinco empresas se recusa a contratar gays, lésbicas, bissexuais e, principalmente, transgêneros e travestis. Os gestores precisam atentar para a importância da inclusão na rotina das empresas a fim de colaborar na luta contra a exclusão e marginalização desse público.

A Agência Besouro de Fomento Social é solidária à causa LGBTQIA+ e direciona muitos dos seus cursos e programas para capacitar essas pessoas em empreendedorismo, para que conquistem autonomia e protagonismo na sociedade através dos seus próprios negócios. Além de ser respeitado e compreendido, esse nicho possui forte poder de consumo, como veremos a seguir.




O que é Pink Money?


Pink Money é o termo usado para caracterizar a comercialização de produtos para o público LGBTQIA+. A quantidade de marcas que promovem ações e produtos voltados para este perfil de consumidor com alto poder aquisitivo e grande potencial de consumo é cada vez maior.

Pesquisas recentes apontam que 78% do público homossexual possui cartão de crédito e gasta 30% a mais do que os heterossexuais. Só no Brasil eles movimentam estimados US$ 75 bilhões por ano.


É importante ressaltar que o uso do termo não é pejorativo, mas a nomenclatura é usada como modo de exigir das empresas que tenham ações direcionadas ao público LGBTQIA+, demonstrando engajamento real com a causa e não apenas visando a obtenção de lucros. Os clientes buscam uma mudança efetiva como resultado da compra. Ou seja, cobram das empresas que realmente façam a diferença.


Gigantes como Apple, Google, Doritos, Coca-Cola e outras empresas do mercado nacional como O Boticário, Skol e Avon são exemplos de apoiadores da causa LGBTQIA+. Atualmente, muitas marcas estão investindo em uma postura gay-friendly, pois estão percebendo que o mercado tradicional, mesmo que dominante, não abrange a todos.


Ainda falta muito para conquistar um ambiente que respeite, compreenda e valorize de forma ampla as minorias sociais, mas a Agência Besouro está comprometida em caminhar junto, em passos firmes, para construir uma sociedade mais justa e igualitária.


Além dos programas voltados para os grupos minoritários, a Agência Besouro oferece capacitações em empreendedorismo para quem busca abrir o próprio negócio. Os cursos seguem a metodologia By Necessity, que permite começar uma nova empresa com zero ou baixo custo, passando por 11 etapas que são realizadas em cinco dias de aula. Conheça mais sobre os programas da Agência Besouro no site:


https://www.agenciabesouro.com.br/

9 visualizações0 comentário
Wpp2.png