Buscar
  • Besouro da Silva

Capacitações para derrubar barreiras e criar oportunidades

LGBTQIA+, refugiados e migrantes são os públicos-alvo de iniciativa conduzido pelo Instituto Besouro em parceria Ministério das Mulheres, da Família e dos Direitos Humanos


Mais Diversidade: o nome do projeto do Instituto Besouro de Fomento Social é autoexplicativo quanto ao que pretende promover no mercado de trabalho brasileiro. Realizado em Porto Alegre (RS) e no Rio de Janeiro (RJ), por meio de parceria com a Secretaria Nacional da Proteção Global, do Ministério das Mulheres, da Família e dos Direitos Humanos, ele beneficiará 280 pessoas diretamente, com cursos de capacitação, ao longo de 2022. “Serão atendidos LGBTQIA+ (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, travestis, queers, intersexo, assexuais e demais pessoas com variabilidade de gênero ou de orientação sexual), migrantes e refugiados. Queremos qualificá-los para que conquistem mais espaços no mercado, mas também reforçar a sua importância como agentes de transformação social”, reforça o presidente do Instituto Besouro, Vinicius Mendes Lima.

O Mais Diversidade prevê, ainda, a realização de campanha de valorização da pluralidade nos ambientes de trabalho, o estabelecimento de parcerias com instituições e organizações para construção de uma rede sustentável de empregabilidade para os públicos atendidos no projeto, e a elaboração de um diagnóstico sobre a situação socioeconômica deles. “Também teremos palestras, abertas a quaisquer interessados, sobre ‘Inclusão no mercado de trabalho de pessoas LGBTQIA+, migrantes e refugiados’ e ‘Direitos Humanos e cidadania’”, complementa Daniel Gil, coordenador do projeto no âmbito Besouro de Fomento Social.


Capacitações

Principais ações previstas no âmbito do Mais Diversidade, os cursos de qualificação terão duração, em média, de 20 horas cada, divididas em (até) 10 dias. Podem participar pessoas com idades entre 15 e 65 anos, que se enquadrem (autodeclaradamente) nos públicos-alvo do projeto. Serão ofertadas capacitações em Hotelaria e Turismo, Operador de caixa, Atendente de farmácia, Técnicas de vendas, Empreendedorismo e Ambientação linguística e cultural (este último, direcionado especialmente a migrantes e refugiados).

O Instituto Besouro elencou esses seis cursos, especificamente, com base em pesquisas realizadas pela sua equipe. Elas apontaram, por exemplo, que a enorme maioria dos projetos de capacitação dedicados aos LGBTQIA+ se concentravam no segmento estético, e a ideia foi quebrar essa tendência, dando condições para esse público buscar trabalho também em outras áreas. “Com relação aos migrantes e refugiados, sabemos que boa parte deles já é capacitada, mas muitas vezes aspectos culturais e linguísticos, acabam sendo determinantes para a sua não contratação. Daí a ideia do curso para tratar esses temas”, explica a técnica voluntária do projeto no âmbito Besouro de Fomento Social, Vanessa Sanchez.

Também foram consideradas, é claro, as oportunidades existentes no mercado brasileiro. O setor de farmácias tem apresentado crescimento constante e, em 2022, as vagas para o cargo de atendente de farmácia (balconista) chegaram a 17.095, figurando entre os mais demandados no país, por exemplo. No que diz respeito ao Empreendedorismo, um dado interessante sobre o tema foi fornecido pelo relatório sobre o Perfil socioeconômico dos refugiados no brasil, publicado pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, em 2020. Dentre os entrevistados pelo órgão, 79,3% declararam ter a disposição em empreender no Brasil.

A expectativa de que a empregabilidade dos atendidos cresça a partir da participação nos cursos é alta: espera-se que o mercado formal absorva 35% dos alunos. O instituto Besouro fará o monitoramento das contratações por meio de parcerias com o Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social (FGTAS), no Rio Grande do Sul, e com a Secretaria Municipal de Trabalho e Renda, no Rio de Janeiro. As duas instituições serão as responsáveis por encaminhar os participantes às oportunidades de emprego ou, ainda, por assessorá-los na abertura de negócios próprios.

Inscrições

As inscrições para participar do projeto Mais Diversidade podem ser feitas, gratuitamente, no site www.projetomaisdiversidade.com.br. É preciso ter entre 15 e 65 anos, ser LGBTQIA+, migrante ou refugiado, e fornecer alguns dados, como os de documentos de identificação e endereço. O Instituto Besouro fará contato via telefone, WhatsApp ou, ainda, presencialmente, para informar sobre a confirmação de vaga. Cada curso terá até 50 participantes, exceto o do Empreendedorismo, que será aberto para 30 alunos.





3 visualizações0 comentário
Wpp2.png