Na Mídia

Tá difícil? Tá, mas a gente não vai desistir! – Edição #1: Esperança que não cai

Tá difícil? Tá, mas a gente não vai desistir! – Edição #1: Esperança que não cai

Passar do nível produtor de delícias caseiras, ou vendedor de porta em porta para microempresário é seu sonho, mas tá com aquele baita medo de não conseguir lidar com tantos clientes? Parece que você encontrou a página certa!

O famoso “se virar com o que tem” ainda tá em todos os lugares, né? O otimismo, a coragem e a persistência não acabam, mas as dificuldades também não. Que é difícil começar e se manter todo mundo sabe, se comenta e se grita pro país. Mas tá na hora da gente mostrar o que essa galera enfrenta no dia a dia.

Pode parecer uma coisinha de nada, que é fácil resolver… Só que não. Quem tá ali no meio é que sabe.

1. Ih, não tô sabendo lidar!


Enquanto algumas funções ou operações podem parecer óbvias, pode ser que quem acabou de arregaçar as mangas pra dar o primeiro passo acabou de topar com elas. E agora, como se salvar dessa? Se você pensou que depois a gente dá um jeitinho, não é a melhor saída. A falta de experiência no ramo ou de conhecimentos administrativos pode ser uma barreira inicial, mas nada que ninguém não possa resolver agora. Isso mesmo, agora. Lembra de quando a gente não sabia o significado de tal palavra e buscava um dicionário ou ia atrás de quem sabíamos ter a resposta? O pessoal também faz isso, mas de um jeito diferente. É por conta própria, na maioria das vezes, porque não teve a oportunidade de aprender antes, na escola, ou em cursos. No fim, saber lidar vai acontecendo aos pouquinhos, sem medo.

2. Eu aceito!


A gente tem que aprender a fazer um monte de coisas sozinhos, né? Muitas vezes, de tanto fazer isso, acaba esquecendo que algumas situações não dependem apenas de uma única mão. Mas como assim alguém pode achar ruim receber ajuda? É que querer que o negócio saia do nosso jeitinho significa que vamos rejeitar algumas mãos amigas. Mas aprender a dizer sim, depois que se vê os resultados positivos, pode assustar totalmente esse fantasma. O pessoal da comunidade sabe que os amigos que acreditam neles estão, também, acreditando na ideia deles.

3. Mas não é só vender?



Saber dizer o diferencial do negócio começa muito antes das vendas. Todo produto começa na ideia, mas passa sempre pelo conceito – que não é só “a comida”, “o salão”, “a pizzaria”. Peraí, e você tá me dizendo que não dá pra vender o produto como um produto? Isso mesmo! Tem que saber qual é o potencial dele e, mais importante – e divertido! –, pensar o porquê seu cliente precisa da sua ideia. Ela não pode ser vendida somente porque o preço é baixo, ou porque é bonita. Vestir os mais diferentes valores é algo que o seu Zé e a dona Maria fazem diariamente, porque sabem o que seus produtos proporcionam, além da necessidade consumidora imediata.

4. Só uns 50 reais?


As finanças podem ser o terror de muita gente, ainda mais nessa crise que estamos. Falou dinheiro, deu ruim! E como vou saber no que investir? Aham, parece horrível, né? Mas com um planejamento dá tudo certo. Saber que o negócio terá custos – isso mesmo, mais de um – é saber pensar a longo prazo. Muitas coisas não são compradas apenas para o uso imediato. Por isso, calcular o preço de produtos, equipamentos e mão de obra é a primeira coisa a se fazer.

Ah, e tem que lembrar que esses gastos nunca serão fixos. Sempre existe aquele mês que surge aquela urgência impossível de ignorar, né? Uma tática para entender no que investir, seja no início ou mensalmente, é ter planos na manga com cenários diferentes. Se você não vender nada, como fica? É bom pensar que, provavelmente, o esforço investido pode não ser retribuído de cara. Às vezes, dá errado, mas o pessoal sabe ser malabarista e fica tudo bem depois.

5. Mas cadê todo mundo?


Você senta e espera. Senta e espera. Senta e espera. Mas o que está acontecendo? Por que ninguém vem? Aham, e será que eles sabem que você está sentado esperando? Atrair clientes nem sempre é fácil só porque você sabe qual é o seu nicho de mercado. Conhecer o nicho é ótimo, porque vai te deixar mais preparado, mas como fazer acontecer? Uma boa resposta é se lembrar dos amigos, dos parentes, dos vizinhos. Quem mora em comunidade conhece uma penca de gente, todo mundo é amigo, todo mundo sabe ajudar o outro. Então, tá aí. Saber quem é o perfil do seu cliente ideal também a partir daquilo que existe ao redor é algo que o pessoal manda muito.

Acabou não! Fica de olho. A gente só vai voar um pouco pra ouvir mais besourinhos sobre suas dificuldades diárias nesse vasto mundo do empreendedorismo e já volta.

*Agência Besouro / Redatora: Marina Spim

Outros Cases de Sucesso

Agência Besouro
whatsapp
whatsapp
maps
facebook
instagram
Inovando Sites Criação de Sites Porto Alegre