Histórias de Lacrimejar

Mesa posta com comida de verdade

Mesa posta com comida de verdade


Sair para almoçar ou jantar é uma delícia. Ainda mais quando a escolha é um restaurante que serve comida de verdade, plantada senão no quintal de casa, no do vizinho. É assim que acontece no Rota dos Sabores, futuro restaurante da Liana Rosa, 28 anos, de Três Forquilhas. Ela participou da capacitação ‘A Riqueza das Áreas Rurais: Agro e Turismo’, em Terra de Areia e está cheia de planos!

A ideia de participar veio de um desejo que cresce dentro dela. “Tenho a intenção de reabrir o restaurante futuramente e, agora, vi que é possível. Era uma vontade que estava adormecida em mim, mas o curso me fez pensar novamente”, conta.

Mas muita calma nessa hora: tem que ter planejamento. “Pretendo primeiro me organizar financeiramente. Estou vendo como vai desenvolver o turismo na nossa região e estou pesquisando para ver um local onde vou ter público para o meu produto”, explica.

Mas será parecido com o restaurante anterior, que Liana já teve? Sim! Levará o mesmo nome e, claro, a mesma comida caseira. “Pretendo cada vez mais usar produtos da nossa região e alguns que tenho plantado, como plantas não convencionais [plantas alimentícias não convencionais, conhecidas como PANCs], que eu já usava alguma coisa antes”, destaca.

A besoura conta que, na época que comandou o restaurante, os pais tinham uma pequena horta. Os produtos plantados eram: aipim, couve chinesa (também chamada de acelga), berinjela, couve, alface, abóbora e "peixinho" (uma PANC). Alguns temperos também são cultivados, como alho poró, curcúma, salsa, cebolhinha, manjericão e pimenta.

A primeira experiência como empreendedora, conforme Liana, valeu muito a pena! “Achei muito bom ter meu empreendimento, por ser um sonho que sempre tive. Então, quando surgiu a oportunidade, apesar de ter ficado um pouco receosa, resolvi encarar o desafio”, diz.

Com a experiência, a jovem viu que há a necessidade de estudar o mercado, independentemente da área. “No meu caso, preciso saber o fluxo de gente para consumir o meu produto, se minhas vendas vão cobrir meus custos e despesas. Também que, quando somos donos, daí que trabalhamos e nos dedicamos ao nosso negócio. Precisamos estar preparados para as dificuldades de mercado e até mesmo na vida pessoal, para tomar as decisões certas”, fala.

Hoje, Liana vê que a metodologia By Necessity teria feito a diferença lá atrás, quando abriu as portas do restaurante. “Depois do curso, tenho outra visão sobre ter meu próprio negócio”, acrescenta. Os conteúdos que a jovem empreendedora mais gostou foram aqueles que abordam pesquisa de mercado e análise de custos.

A previsão para a reabertura é o 1º semestre de 2021. Ela não pensa em ter sócios, somente ela mesma atuando como cozinheira e gestora. O restaurante será do tipo buffet livre e a quilo, com saladas e sobremesa. “E aquele cafezinho cremoso”, enfatiza.

O diferencial do Rota dos Sabores? A comida, claro! “Com temperos naturais, massas feitas em casa, PANCs, legumes e verduras não tão consumidos pelas pessoas. Comida realmente caseira com produtos da região como feijão, aipim e batata doce”, finaliza.

Redação: Priscilla Panizzon/Agência Besouro

Outros Cases de Sucesso

Agência Besouro
whatsapp
whatsapp
maps
facebook
instagram
Inovando Sites Criação de Sites Porto Alegre